Ano passado estive rapidamente em Colonia de Sacramento e desde então fiquei curioso para conhecer um pouco mais do Uruguai. Aproveitando uma maravilhosa promoção (sempre tô de olho no Melhores Destinosse não conhece fica a dica), consegui emitir por apenas 8mil milhas uma ida e volta pela TAM. E inclui no roteiro uma visita em Punta Del Este e uns dias em Montevidéu.
 
Pelo que havia lido previamente, dá pra conhecer Punta em um dia, e é verdade, mas como o bate e volta de Montevidéu pode ser cansativo, vale o pernoite até pra poder jantar ali na cidade. Saí do aeroporto e aluguei um carro para ir até lá. Logo na saída do aeroporto você já vai dar de cara com quatro locadoras de veículos, acabei optando pela Avis e tudo correu sem problemas. Do aeroporto a Punta demora cerca de 1h20, numa estrada tranquila, reta a maior parte do tempo e com bom calçamento. Não tem grandes visuais pra curtir no caminho, no entanto. O carro não veio com gps, mas a estrada é bem sinalizada e é praticamente impossível se perder no caminho.
 
Punta só existe de verdade entre dezembro e o carnaval, quando é invadida por turístas. Como fui no inverno,  parecia uma cidade fantasma, super esquisito. Me senti dentro do Walking Dead, esperando ser atacado por zumbis a qualquer momento. Várias casas, prédios e lojas todas fechadas, vazias mesmo. E é engraçado porque a estrutura da cidade, digo o quantidade de imóveis construído, dá a impressão de ser uma cidade de mais de 100mil habitantes, mas no inverno todo mundo vai se entocar em outro lugar. A infra de Punta é boa, vi vários prédios e casas bonitas, com arquitetura moderna. Parece ser bem rica, porém no deserto de pessoas que a conheci, era apenas esquisito.
 
Em um dia, sem pressa, dá pra conhecer os principais atrativos de lá – a escultura dos dedos na praia, a Casapueblo e o casino do hotel Conrad. 
 
 
A escultura de Los Dedos fica na praia Brava, perto do do centrinho da cidade. E é ótima para tirar fotos-testimonials, aquela bem turistona que comprovam que você foi lá de verdade. Aqui segue o texto informativo que achei na web sobre lá:

“A mão que sai da areia na Parada 4 da Praia Brava foi levantada ali em fevereiro de 1982, quando o artista plástico chileno Mario Irrazábal chegou a nosso país convidado pela prefeitura de Maldonado. Esse ano foi o Primeiro Encontro Internacional de Escultura Moderna ao Ar Livre. Durante todo esse mês a praia transformou-se numa insólita oficina ao ar livre, onde nove artistas de diferentes paises trabalharam. Irrazábal chegou com a sua maquete de plástico e teve que improvisar o resto da obra. Tardou seis dias em completá-la. Com a ajuda de um soldador e de umas barras de aço criou os dedos, que logo cobriu com uma malha e uns 8 cm de estuque. A mão transformou-se em um dos símbolos de Punta del Este e foi o modelo inicial para criar outras obras, que hoje são exibidas em vários países. Mãos similares e do mesmo autor podem-se ver na Espanha *1987, no Deserto de Atacama *1992, e na Veneza *1995. A mão significa a presença do Homem na Natureza, o Homem surgindo à Vida” (fonte aqui)

A Casapueblo é uma casa-museu com uma arquitetura super diferente a la Gaudí, dum artista plástico famoso no uruguai chamado Villaró. Sinceramente achei que deixa um pouco a desejar, porque enquanto casa é bem esquisita, a arquitetura embora seja diferente, não é exatamente maneira, ao menos para mim (Gaudí com certeza faria bem melhor) e quanto a parte museu carece bastante de textos informativos ou ao menos um trabalho de curadoria que exponha melhor ao visitante o acervo e arte do Villaró. De qualquer forma, é um must-see de Punta.
Assim como é o Casino do Hotel Conrad. Eu não curto muito cassinos, mas reconheço que há certa curiosidade  quase incontrolável de entrar num nem que seja para ficar maravilhado com o incessante pisca-pisca dos caça-niqueis e ver as mesas de roleta e carteado. O Hotel Conrad é mega-chique e deve ser irado ficar hospedado lá, porém não está ao meu alcance.
 
Ainda tive tempo de ir visitar o rancho La Pataya que é famoso por produzir um delicioso doce-de-leite (minha kriptonita das sobremesas). O rancho é bonitinho e bem legal pra quem viaja pra lá com crianças, porque há diversas opções de recreação infantil como arvorismo, cavalgada, brinquedos,etc. E o doce de leite é bom mesmo. Alias falando em comida. fui a três restaurantes por lá, o Lo de Tere, o Life (dentro do Hotel Boutique AWA, que é muito bom pra ficar hospedado) e o Boca Chica Express. Os dois primeiros são muito bons, já o último é ok.

 
***********************
Minhas avaliações no TripAdvisor:
 
Escrito por Claudio Lemos