palestras

Ciclo de palestras do projeto Tamar

Um programa rápido e informativo bem bacana para fazer a noite em Noronha é assistir a uma aula/palestra na sede do instituto Tamar. Em geral, dura cerca de 1h e é uma das poucas atrações gratuitas da ilha.  A programação fica disponível no próprio centro do Tamar e, se não em engano, nos pontos de informação a turista do aeroporto e da praça flamboyant.

O ciclo de palestras é fixo, cada noite um tema diferente é abordado. Há palestras sobre o parque Nacional Marinho de Noronha, Golfinhos Rotadores, Tubarões, Tartarugas Marinhas e Projeto Tamar, a vegetação de Noronha, entre outros. As palestras acontecem no auditório da sede do  projeto Tamar que conta ainda com uma mini-exposição de tartarugas e uma lojinha fofa cheia de souveniers que ajuda a sustentar o projeto, além de contribuir para a desenvolvimento sustentável de comunidades em diversas localidades do Brasil. Não dá pra sair de mãos abanando. Não há cinema na ilha, mas aos domingos no auditório também são exibidos filmes por lá.

LV

O pesquisador de tubarões desmistifica vários preconceitos que temos a respeito deles.

Assistimos duas palestras ótimas. A primeira foi sobre tubarões ministrada pelo pesquisador Leonardo Veras que dirige o Museu do Tubarão de Noronha. Desmistificou um monte de mentiras e pré-conceitos que tínhamos sobre esse predador dos mares. Inclusive me deixou muito mais tranquilo e à vontade nos encontros subsequentes que tive cara-a-cara com os tubarões quando mergulhei na ilha. Em Fernando de Noronha como o ecossistema é bem equilibrado, com fartura de alimentos, os tubarões não estão nem aí pra nós, seres humanos. O único caso de incidente com tubarão na ilha foi bem merecido. Um turista que pertubou um tanto do bicho até que finalmente foi “atacado” para deixar de ser besta. Enfim, bem-feito né?

Tubarões não se alimentam de carne humana e enxergam mal, sendo este segundo fator a principal causa da maioria dos incidentes que ocorrem. E isso, quando ocorrem, porque estatisticamente são bem mais raros do que podemos supor, o problema aqui é que da mesma maneira quando ocorrem acidentes aéreos ou tsunamis, estes tipos de acidentes bizarros conseguem capturar nossa atenção de forma muito mais intensa que os acidentes “normais” cuja frequência é muito superior e importuna um contingente bem maior de indivíduos afetados. Quer ver só? Dá uma olhada no infográfico abaixo baseado nos dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde.

 

maiores assasinos-logo

Fonte: World Health Organization

 

São apenas 10 acidentes com morte envolvendo tubarões por ano, ao passo de que os frágeis mosquitos são responsável pela mortalidade de mais de SETECENTOS MIL humanos! Nessas horas você reflete que o marketing do OFF! poderia sem mais terrorista mas felizmente eles não fazem isso.

O Museu dos Tubarões também gratuito, fica próximo ao Porto mas pra quem já viu a palestra dos tubarões acaba sendo um passeio bem sem-graça. Nas paredes do local estão expostos (e já um tanto desgastados) o mesmo conteúdo da palestra. Há umas poucas mandíbulas de tubarões e no mais uma lojinha de souvenirs mequetrefe. Dizem que o “tubalhau” (a versão do bolinho de bacalhau local) servido lá é gostoso, mas não provei o quitute pra confirmar. Bem pertinho dali, atrás da capela São Pedro no alto do morro, está a Enseada dos Tubarões. É um passeio que costuma ser ignorado pelos turistas mas eu e a Claudia gostamos bastante. No fim da tarde, os tubarões costumam se recolher naquela enseada para descansar e se alimentar. Do alto do morro é possível avistar vários lá embaixo, a uma distância segura para quem ainda estiver com medo do bicho mesmo depois de todas as infos da aula tubaronística.

DSC08967

No bar do Museu dos Tubarões, aonde é servido a famoso “tubalhau”

DSC08974

Game Of Thrones, versão Noronha

DSC08982

A capela São Pedro fica pertinho do museu…

enseada dos tubarões

…bem na passagem pra Enseada dos Tubarões

A outra palestra que assistimos foi sobre as tartarugas marinhas e o projeto Tamar, possivelmente é a sessão que mais gera pós-vendas na lojinha do Tamar. Você sai da aula encantado com o projeto e querendo ajudar. Aí, tá a loja na frente cheia de produtos simpáticos e fica difícil resistir. Em termos de conteúdo, foi um pouco menos interessante do que a dos tubarões, mas também convenhamos os tubarões tem mais apelo no nosso imaginário que as tartarugas. Um complemento interessante para a palestra da tartaruga é assistir a captura intencional de tartarugas promovida pelo projeto tamar as segundas e quintas feiras nas praias do Sueste e Porto (confira no Tamar antes os horários). É super legal e educativo.

captura

Captura intencional de tartarugas na praia do Porto

captura1

Os biológos contam um pouco mais sobre o ciclo de vida das tartarugas

tartaruga capturada

fazem as medições do animal capturado

 

devolve a tartaruga!

e em seguida devolvem o animal a água.

Escrito por Claudio Lemos