Ainda estávamos tentando assimiliar aquela paisagem do Glaciar do passeio no dia anterior quando a van encostou no hotel para nos buscar para o Minitrekking. A van nos levou para o centro da cidade aonde entramos num ônibus turístico, tipo frescão, que nos levaria para o parque.

Como mencionei antes, o Hielo y Aventura é a única empresa credenciada no país que tem autorização para levar turistas para por os pés no glaciar. Eles vendem um pacote completo que inclui translado de Calafate até o parque + Safari Nautico + minitrekking.

Eu achava que minitrekking incluiria apenas o minitrekking + transfers ida/volta, porém estava enganado. Como todo bom passeio turístico, o tour inclui uma parada de 10min para fotografias no mirante. Depois faz um pit-stop de 2h no topo do morro aonde fica a principal infra do parque (com lanchonetes, banheiros, e lojas de souvenir). Nessa parada, o turista tem um tempo cronometrado para percorrer apenas parte mais próxima das passarelas que ficam a uma altura praticamente do topo do Glaciar. Aqui foi o momento em que feliz por ter feito a visita no dia anterior sem pressa e por conta própria de carro. Se tivesse apenas essas duas horas na passarela, acho que sairia de lá um pouco frustrado. Vai por mim, o visual é inacreditável! E te faz querer ficar horas ali apenas admirando o gelo.

MOMENTO “EU FIZ E FOI MANEIRO: ter ido um dia sozinho de carro para percorrer o parque e depois voltar no dia seguinte para o trekking no gelo , me permitiu conhecer muito melhor o Perito Moreno. Se você fizer só o tour do trekking pode sair de lá meio arrependido de não ter ficado tempo suficiente.

Enfim, o bom foi que nessas duas horas, pudemos percorrer a única parte de passarelas que não haviamos feito no dia anterior.

Terminada as duas horas de visita pelas passarelas, voltamos ao onibus que iria nos leva até as docas aonde começaria o er…aham-aham.. Safari Náutico. Isso foi o maior engodo de marketing pra turista. Para se chegar até o Glaciar Perito Moreno, necessariamente você precisa cruzar de barco o lago que separa o bloco de gelo da área do parque. Aí a empresa colocar uns mini-catamarães que fazem basicamente a travessia para o outro lado, com alguma info turística aqui e ali via alto-falante, e nomeam isso de Safari Náutico. Não se engane, é apenas um transfer de barco para até o Glaciar. Enfim, revoltas a parte, chegamos ao lado do Glaciar e ali os guias dividem os grupos em grupinhos para poder ter mais segurança e explicam como será o roteiro.

A caminhada dura cerca de 50min e para andar no gelo eles disponibilizam um suporte para os pés que você amarra no tênis para conseguir se equilibrar. Não é difícil nem nada, apenas você fica andando que nem pinguim meio que de ladinho. Eu não achei cansativo, mas se você é do tipo que reclama de subir um lance de escada talvez considere isso como um exercício.

Há varias paradas ao longo dessa caminhada aonde o guia vai contando mais e mais infos sobre o Glaciar. E claro você continua naquele modo fotografias-infinitas. É cada ângulo…cada cor…

Volta e meia surgem algumas poças d’agua em meio ao Glaciar. É uma as águas mais puras do planeta e é só meter a mão e beber ali mesmo direto do chão. Uma delícia!

Ao final da caminhada, veio aquele momento like a boss. Eles surgem com cuba e uma picareta, pegam gelo do chão e abrem uma garrafa de whisky e servem a todos os turistas, além de um alfajorzinho também.

Momento Patrão!

E ali acaba em grande escala o tour! O barco te leva de volta para o outro lado do parque aonde o ônibus já está esperando para levar todo mundo de volta a El Calafate.

É um passeio que embora não seja barato, vale cada minuto! Na hora em que tiver planejando sua viagem para lá, já separe uma verba pro passeio que vale totalemente a pena!

Se quiser economizar, pode levar água e comidas desde El Calafate, pois assim você não fica refém dos preços da lanchonete do parque. Mas também não se preocupe de não levar nada, pois é fácil comprar água e comidinhas ali na hora.

Escrito por Claudio Lemos