DSC09785

Ah, Parrí…óia nós aqui outra vez :)

Pois é tenho que admitir que a cada visita a cidade vai me ganhando. Tive uma pseudo-decepção na primeira visita. Ou melhor, foi um choque de expectativas. Tinha uma “idéia” de Paris que acabei não encontrando naquela ocasião. Saí de lá com a impressão de ser uma cidade velha, uma arquitetura muito século XIX. Mas sendo sincero, que sabia eu de arquitetura? Pê êne…

Até começar a viajar, tive muito pouco contato com arquitetura. Mais aí você vê uma catedral gótica aqui, um bairro medieval ali, um prédio ultramodernoso acolá e então passa a dar mais valor a esta ciência que visa criar uma relação mais harmônica entre o homem e o ambiente ao seu redor.

Então comecei a ler e me interessar um pouco mais sobre assunto de maneira geral. E alguém me indicou que visse o documentário “Sketches of Frank Gehry” , o último filme dirigido pelo Sidney Pollack. E o legal é que o approach do documentário favorece a quem não tem muita cancha, ou zero no meu caso, sobre o assunto.  Ainda vivo e ativo, Frank Gehry é um dos grandes ícones da arquitetura contemporânea. Foi ele quem desenhou o Guggenheim de Bilbao, entre outros.

Guggenheim Bilbao

Museu Guggenheim de Bilbao (foto:Flickr/ Julen Landa CC BY-NC-ND 2.0)

iac building

IAC Building em NY. Tiramos essa foto no high line park, a noite quando ele fica todo aceso.

Esse prédio acima de NY eu acho lindão e depois de ver o documentário fiquei fã do Gehry. E eis que numa coincidência genial estaríamos em Paris durante  o período de exposição temporária no Pompidou inteirinha dedicada ao Frank Gehry. E  mais! A expo foi planejada para acontecer em paralelo ao lançamento da Fondation Louis Vuitton, um novo centro cultural de artes plásticas e casa de shows cujo projeto é assinado pelo Gehry também. Puta cagada do bem :)

GEHRY  1x – EXPO NO POMPIDOU

IMG_9660

DSC09605

IMG_5915

IMG_9629

IMG_9645

A expo é incrível com diversas maquetes, rabiscos iniciais, recheado de vídeos com vistas dos projetos e claro da obra realizada. É muito maneira. E dá bem para ver a evolução dos conceitos que ele trabalha, como a interseção do espaço exterior e do interior veio ganhando força a medida que ia concebendo novas edificações.

A ida ao Pompidou para ver a expo do Gehry tinha sido de caso pensado, porém esse lance da Fondation Louis Vuitton foi uma feliz descoberta. Em algum ponto no meio da exposição havia um destaque sobre o novo prédio que abriria as portas em Paris durante a última semana de outubro. Eu e a Claudia nos entreolhamos e nem precisamos dizer nada. Iríamos visitar FLV no dia seguinte. Fato.

>>>> A parte II dessa aventura continua aqui <<<<<

 

INFOS ÚTEIS
Centre Pompidou
Place George Pompidou
Metro:  Estação Rambuteau (linha 11) ou Hôtel de Ville (linhas 1 e 11) ou Châtelet–Les Halles (linhas 1, 4, 7, 11 e 14)
Aberto todos os dias, exceto terças-feiras.
Ingresso: 13 euros
Horário-base é das 11h às 22h.
Site: www.centrepompidou.fr/en

Escrito por Claudio Lemos