inside angkor
Angkor Wat vista de dentro

Talvez a imagem mais internacionalmente famosa do Camboja seja a do templo de Angkor Wat, e não é pra menos afinal é uma construção do século XII que até hoje deixa o mundo de boca aberta tentando entender como aquilo foi construído pelas mãos humanas com a tecnologia disponível a época. É ver pra crer. Olha só as fotos que fizemos por lá:
bayon
Uma das várias faces em Bayon

Ta Phrom

Dentro de Angkor Wat

 Angkor Wat é o maior templo do complexo Angkor, porém há um sem número de outros templos e ruínas para visitar. Fica a gosto do freguês (e claro disponibilidade de tempo). Para facilitar a vida do turista há dois roteiros pré-montados. O primeiro é o short circuit, que dá para fazer em um dia e passa por Angkor Wat, Ta Prohm (o famoso templo que aparece no fime Tomb Raider) e o Bayon Temple, terminando o dia com a subida para ver o por do sol no morro Phnom Bakheng. Já o long circuit é para quem tem mais dias disponíveis e pode ser feito em 2 ou 3 dias, percorrendo vários outros templos além dos que estão contemplados no circuito menor.

Como meu tempo no Camboja era bem contado, escolhemos o short circuit e fomos ver os highlights de Angkor. Na porta dos templos e também no seu hotel dá para agendar um guia para passar o dia te acompanhando e contando os pormenores e a história dos templos, mas preferi não contratar ninguém e apenas olhar os templos mesmo porque para ser sincero eu acabaria esquecendo a maior parte dessas histórias (pergunte se eu lembro alguma coisa que o guia me falou em Macchu Picchu em 2004?). Se realmente algum dia despertar em mim um súbito interesse na história da cultura khmer a internet taí para me esclarecer. Preferi focar meu olhar e me deixar absorver pelo cenário, tirando fotos até acabar o cartão de memória.


Portanto este post não tem nada sobre a história dos templos, mas se quiser um tour visual é vir comigo nos próximos posts. Apenas como info útil, dentro da região do templo existem alguns restaurantes e “restaurantes” (não precisa trazer lanche nem nada), há sempre barracas vendendo água na entrada/saída dos templos (garanta sempre uma contigo, pois o calor é bem intenso) e também há banheiros em bom estado de conservação. Não esqueça do boné, protetor solar e repelente. Ok, fim das dicas úteis 😉
Escrito por Claudio Lemos