Rá!
Taí um programa que nem levava muita fé e acabou sendo uma das coisas mais legais que vi capital portuguesa. O Oceanário fica dentro do Parque das Nações que é um pouco afastado do centro, na direção leste. Pegando o metro é só descer na belíssima estação Oriente, mais um projeto incrível do Santiago Calatrava. Toda essa área da Gare do Oriente/Parque das Nações é mais modernosa e distoa bastante do centro histórico e velho de Lisboa. Logo em frente a estação há o shopping Vasco da Gama onde há uma escada rolante, quer dizer, eu achava que era uma escada rolante mas na verdade é uma pegadinha do mallandro. Trata-se de uma escada comum, com piso de madeira, mas que tem um corrimão emborrachado exatamente igual ao de uma escada rolante. Você chega perto crente que vai descer/subir sem esforço e quando vê: Rá! Pegadinha do Mallandro!
A Gare do Oriente
Atravessando o shopping Vasco da Gama chega-se finalmente no Parque das Nações que foi construído para a Exposição Mundial de 98, mais que um parque a região virou um bairro, valorizando uma área industrial da cidade. O projeto urbanístico além de servir a expo, trouxe prédios comerciais e residenciais para a área que é bem agradável de passear. Quisera eu ter tido um pouco mais de tempo para andar por ali. No Parque, propriamente dito, há um pavilhão multiuso, um museu do conhecimento, um teleférico, uma fonte, a Torre Vasco da Gama e o oceanário.

O Oceanário de Lisboa é simplesmente incrível, me senti uma criança indo pela primeira vez no zoológico. Você os peixes de bem pertinho e uma variedade imensa de animais marinhos que nunca tinha visto antes na vida. É o segundo maior oceanário do mundo, com aquários imensos que representam os oceanos Indico, Atlântico, Pacífico e Antártico, além de vários outros aquários menores que complementam o aprendizado da biologia marinha. Tem polvo gigante, moréias, tubarões, raias, lontras, peixe-palhaço e mais um sem-número de animais. Vale muito a visita. Eu voltaria fácil…

Escrito por Claudio Lemos