brasil italia bandeira

Uma das peculiaridades que mais gosto quando viajo é reparar nos costumes locais. É revelador quanto podemos aprender não apenas sobre o local visitado, mas também sobre nós mesmos, nossa origem e costumes. Sem mais digressões, na Itália pude constatar que:

a) italianos não sabem organizar fila
Pelo que entendi isso deve ser um hábito adquirido e refinado ao longo da vida, porque que outro motivo explicaria a completa inapetência deles em organizar uma simples fila? Já de cara, ainda no Galeão, notamos que a fila da Alitalia tava meio mal feita, mas a princípio atribuímos a cia aérea, porém depois de chegar em Roma logo pude perceber que isso é cultural mesmo. No Coliseu a fila do lado de fora segue bonitinha e vai assim até quase chegar no caixa, quando desembesta de vez e fica tudo muito confuso. Não pode ser tão difícil assim dispor e montar separadores de fila né gente? No guia de informações da estação de trem. Você tá lá todo paciente esperando sua vez, aí vem um italiano falastrão e entrão e simplesmente ignora você, e se atira em direção ao atendente para pedir sua informação. É muita confusão. Passei por outros momentos, mas vou poupar vocês. Apenas já fiquem com a mente aberta porque se você estiver lá, em algum momento vai acontecer contigo também.

b) italianos são falastrões mesmo
Aquele papo de que italianos falam alto e gesticulam muito é verídico. O gesticular vá lá, não atrapalha ninguém, mas o falar alto é f**a. Mas nada que você já não tenha visto por aqui em um ônibus ou trem. De certa forma isso até te faz sentir um pouco próximo de casa.

c) placas de proibido fumar não tem o menor efeito moral sob a população.
Fuma-se em qualquer lugar e sem o menor pudor. Você pode estar no meio da sua refeição, mas se mesa ao lado já tiver terminado vai baforar na sua massa. Entrou no terminal de trem, aquele ambiente fechado, crente que se livrou da fumaça e o senhor ao seu lado acende o cigarro como se fosse a coisa mais normal do mundo. Lá é assim, get used to it. Não interessa se o ambiente é fechado ou mesmo se há uma placa de proibido fumar, os italianos fumam anyway. Fiquei pensando como será que eles se comportam nas salas de  teatro e cinema por lá…

d) Brasil tem muito de Itália também

Por vezes sentia que as proximidades Brasil/Itália eram até maiores que as Brasil/Portugal. Porque de um modo geral o povo lá é mais aberto e receptivo que os portugueses. O fato de serem falastrões, muitas vezes ultrapassando a linha da  boa educação, é também cosa nostra. Os trens as vezes atrasam e aí você percebe que aquela organização/eficiência européia não é tão eficaz ali naquele país. Há corrupção e  escândalos políticos, assim como em Brasília. O trânsito é confuso, com buzinas a torto e a direito (em Nápoles isso é elevado a outro patamar). Teve um momento em Roma que estávamos no taxi e a rua era estreita e o carro a frente estava manobrando. O taxista esperava tranquilamente quando ouvimos uma porrada forte na janela. Olhamos para fora e era uma italiana que estava com o carro atrás do nosso taxi, socando o vidro para chamar a atenção do taxista. Pelo que entendi ela precisava seguir viagem porque estava indo ao hospital. Mas tomamos um susto! Imagina só, você parado no trânsito e de repente aquele socão no vidro da sua janela. Enfim, são cenas bastante plausíveis de acontecer por aqui também.
Escrito por Claudio Lemos