O lago que acompanha a cidade de Calafate

Chegar em Calafate é fácil. A cidade é pequeninha com menos de 15mil pessoas, porém é servida por um aeroporto pequeno (só para ter vocês terem idéia: a taxa de embarque é paga a parte da passagem aérea num guichezinho no salão de embarque), contudo o aeroporto fica ao lado de um lago incrível que já te dá um excelente boas vindas a Patagônia  Pegamos um voo da Aerolatas Argentinas de Buenos (Aeroparque) e em três horas chegamos a El Calafate. Separamos dois dias inteiros (descontando dias de chegada e saída) em Calafate para esmiuçar bem o Perito Moreno. Foi a medida ideal para nós. Você poderia ficar um dia só se quiser e conhecer o Glaciar com o mini-trekking, mas para nós foi excelente ter dois dias. Continua lendo que te conto mais.

Alugamos um carro na Localiza para ficar lá durante o período. O lado bom é que é super fácil dirigir por lá. Há pouco movimento na cidade, então é fácil de achar vaga e o carro de dá a liberdade de rodar bem o parque do Glaciar sem ter que se preocupar com horários de tour, caso você prefira contratar um pacote fechado. Além disso, você “economiza” os taxis de chegada e saída do aeroporto que é um pouco afastado do centro da cidade. E a cidade é tão pequena que a Localiza nem tem guichê no aeroporto. Fica um funcionário lá com uma placa com seu nome te esperando quando o voo chega e vocês vão de carro até o escritório da Localiza na cidade para acertar os trâmites de cartão de crédito. Na devolução, o funcionário te espera no estacionamento do aeroporto (gratuito) para recolher as chaves. Ou seja, é um transfer in/out embutido no aluguel :)

O lago iluminado a noite pela lua

Calafate, enquanto cidade, é basicamente uma rua principal aonde há um razoável número de restaurantes e lojas com artesanato, no entanto passei um pouco de dificuldade em algumas vezes para conseguir pagar usando cartão de crédito e além disso a cidade conta com poucos caixas automáticos pra piorar a vida de quem tá sem dinheiro. Não sei se dei azar pelo fato de ser época de réveillon  mas foi meio chato ter que sacar dinheiro e perguntar a toda hora se a casa aceitava cartão de crédito… Além disso há algumas lojas focadas em itens para aventureiros já que o lugar atrai muitos mochileiros e adeptos de trekking/escaladas. O lugar realmente inspira, mas isso não é muito minha praia atualmente…

O tradicional cordeiro fueguino da Patagonia
Escrito por Claudio Lemos