Castelo de São Jorge, visto da Baixa
 
Lisboa é uma cidade super agradável de andar a pé ou a bordo dos bondes que cortam as ruas do centro histórico da capital. Além disso é uma cidade com uma vibe muito acolhedora, me senti extremamente à vontade por ali. O fato de não existir barreira linguística contribui muito para a experiência positiva de se visitar a terrinha. Além do que é evidente a influência da capital portuguesa na formação arquitetônica do Rio de Janeiro. Sério! Vários momentos olhava ao redor e pensava estar em algum canto perto da Praça XV. As pedras portuguesas dominam o centro histórico daonde é possível avistar o Castelo de São Jorge, nas ladeiras da Alfama, o bairro vizinho.
Por dentro de Castelo
O Castelo na verdade nem parece um castelo, tem mais um jeitão de forte que defendia a entrada da Lisboa, estando ao mesmo tempo próximo ao Tejo porém no alto. Dentro do castelo há uma área de interesse arqueológico onde é possível (só pra arqueólogos mesmo…) identificar diferentes períodos de construção da edificação. Mas o legal mesmo é andar por entre as torres e as muralhas, onde se pode avistar boa parte de Lisboa, com aquele céu azul incrível. E ainda tem uma câmara escura onde a cidade toda é refletida numa superfície côncava através de um periscópio potente, embora bem rudimentar em termos de manuseio.
Claustro do Mosteiro dos Jerônimos
A segunda visita imperdível de Lisboa é o Mosteiro dos Jerônimos cuja construção data do século XVI. O prédio é lindo, todo trabalhado nas colunas com um claustro belíssimo que dá gosto de ficar por ali relaxando e mais uma vez curtindo o céu azul incrível da cidade. O mosteiro fica em Belém, na parte oeste de Lisboa que é terra dos famosos pastéis de belém. Eu particularmente acho um doce overrated, não vejo muita graça mesmo…mas pra quem já veio até aqui não custa nada parar ali fazer uma boquinha antes ou depois do mosteiro.
Escrito por Claudio Lemos