Na Espanha, de um modo geral, come-se muito bem, obrigado! Essa história de tapas é incrível. Eu estava meio descrente no começo. Esse negócio de mini-porções parece coisa de sovina, mas não é não. É bem melhor para matar a fome aos poucos, permitindo que se desguste diversos tipos de comidinhas deliciosas, sem nunca dar aquele cansaço de quem comeu-até-ficar-parado-após-uma-feijoadinha.
Em Barcelona comi em diversos bares de tapas legais, mas os destaques ficam por conta do Tapas 24, Cerveceria Catalana, Taller de Tapas e El Xampanyet. Vamos um por um. Logo no primeiro dia da nossa estadia na capital catalã fomos ao Tapaç 24 (Carrer Diputacio 269) onde fomos apresentados formalmente a cultura dos tapas. Tem diversos quitutes gostosos, e que mais gostei foram as bombas, uma espécie de bolinho de carne picante. Delicioso!
A simpática fachada do Tapaç 24
 
Vai uma bomba?





A Cerveceria Catalana (Carrer Mallorca 236) também é maravilhosa, mas é bom se preparar para encarar uma fila de espera na hora do almoço aos fins de semana. Até que dei sorte quando fui, em quinze minutos estava sentado confortavelmente na mesa do lado de fora. Há ainda um grande salão na parte de dentro que deve acomodar bem umas 120 pessoas. O garçom simpático nos aconselhou a pedir um mix de tapas, onde se come mais por menos. Há opções com cinco, oito e doze tapas, se não me engando. Pedimos uma com cinco diferentes: pimientos verdes com sal, camarões, croquetes de jamon, sardinhas fritas e mariscos. A parte ainda pedimos o montadillo de solomillo com pimientos, que é sem dúvida uma melhores carnes que já comi, incrivelmente macia. A sobremesa matadora veio na forma de torta de limão. Ui!
Foto meio mal tirada da fachada da cerveceria
 
 Solomillo, que carne é essa meu povo?
 
 Mix de tapas
 
Torta de limão



Seguindo a lista temos o Taller de Tapas que é uma rede de restaurantes local. Vi pelo menos uns três deles espalhados em Barcelona (no Born, no Eixample e no Bairro Gótico), mas o site indica cinco estabelecimentos. Tinha um na mesma rua do hotel que estava hospedado e fiquei com vontade de ir nele, mas o que estive no que fica na Rambla Catalunya, e achei o serviço é muito bom. Derrubamos uma garrafa de vinho (aliás algo comum em se tratando das refeições na Espanha. O preço do vinho normalmente é equivalente ao do refrigerante, e sempre dá pra confiar na qualidade do vinho da casa). E gostei também do ambiente do restaurante, um pouco mais classudo. Comidas que conheci lá: butifarra (uma espécie de linguiça branca picante), lacón galego (um presunto muito superior) e azeitona, este último pode parecer estranho, mas a verdade é que não gosto de azeitonas, ou melhor não até comer as azeitonas de lá que são deliciosas e não tem nada a ver com o gosto das daqui. A sobremesa veio na forma de creme catalão e mousse de chocolate branco e negro.

 Lacón galego e os pan amb tomaquet

 

 Azeitonas de verdade
 Mousse de chocolates
Crema Catalan, uma bobice



 O último desta lista é o El Xampanyet. Tradicionalíssimo da cidade também, foi aberto por volta da década de 30 e fica pertinho do Museu do Picasso, numa rua charmosíssima do Born, a Carrer Montcada nº22. Olhando de fora você não dá nada pelo local e quando entra a dúvida permanece. Tem cara de boteco antigo e sem muito cuidado, apesar dos azulejos velhos darem um certo charme. O staff é super simpático e disponível e a comida é realmente incrível. Lá comi tapas realmente diferentes dos de cima, como o pimentão vermelho rechado de bacalhau, a batata gratinada com pedaços de carne, um mix de embutidos (chourizo e afins) e um montadillo incrivel de atum com azeitonas e outro de jamon pata negra. Vale muito a ida.
Quando estiver no Xampanyet não deixe de beber uma cava para acompanhar os quitutes
Escrito por Claudio Lemos