A idéia era acordar cedo, passar na Florida, ir a Palermo trocar o tenis e passar o dia em San Telmo na famosa feira do domingo. Mas como acordar cedo se dormimos as 3h? Saímos do hotel perto de 12h30 e fomos na Florida pois nossos pesos estavam quase no fim. A única casa de câmbio estava com uma cotação ridícula e decimos só trocar os 20 euros e 20libras que ainda tinhamos da viagem da europa. Ficamos com cerca de 300 pesos pra gastar no dia, e resolvemos que gastaríamos a comida no cartão pra não ficar descapitalizado. Pegamos o trem até Palermo, e assim que saímos do Subte (como é chamado o metro em BsAs) havia uma loja da Havana. Queriamos levar uns alfajores para dar de presente no Brasil. Tomamos um café e decidimos comprar os alfajores na volta pois passaríamos ali para pegar o metro de qualquer forma. 
Voltamos até a loja da Lacoste e descobrimos que o tênis era assim mesmo, com um cadarço de cor diferente de um pé para o outro. No caminho de volta do metro achamos uma casa de empanada que a vendia frita como o Alberto havia falado. Resolvemos experimentar, mas no fim das contas preferimos a forno mesmo. Fritura = gordura, ou seja, melhor evitar mesmo. Compramos os alfajores e uns potes de doce de leite e entramos no trem para San Telmo. 
Já eram 14h30 e começamos a ficar preocupado em perder o horário de almoço de novo. Em San Telmo fomos direto para o restaurante Café San Juan (av San Juan 450) que é super bem indicado e é um dos mais votados no Guiaoleo (www.guiaoleo.com.ar), um similar ao guia mais Brasileiro, com várias indicações de restaurantes para ir. Ficamos um tempo na fila e quase desistimos, mas finalmente sentamos e tivemos uma ótima experiencia. Dividimos de entrada um queso crema con salmon dehumado (um carpaccio de salmao em cima de um pao torrado), de prato principal um Ojo de Bife (um corte super macio de carne) que vinha temperado com alho e outras especiarias, além de vir super bem apresentado. De sobremesa comemos um nugatin e um creme brulee. E derrubamos outra garrafa vinho, desta vez um Merlot. O almoço atrapalhou um pouco o desempenho na feira de San Telmo, o passeio em sequencia. Levemente alcoolizado, de estômago cheio e com uma mochila pesada nas costas já tava quase desistindo de ver a feira. Mas aquele era o único domingo que tinha na cidade, então não tem jeito, vamos lá aproveitar.

A Feira de San Telmo é super tradicional na cidade. E é bem grandinha, gasta-se um bom tempo para percorrer a infinidade de barraquinhas cada uma com mais quinquilharia que a outra. É um passeio bem bacana. E dá para encontrar uns achados muito legais por preços de banana. Pena que chegamos já mais pro final da hora de funcionamento então não foi possível conferir cada cantinho da feira como gostaria, mas fica pra próxima.

Escrito por Claudio Lemos