Enquanto a Claudia tinha dificuldades para acordar, fui a internet e aproveitei para ligar para o Alberto, o amigo argentino que conheci em Cusco e havia reencontrado no facebook. Marcamos de nos encontrar a noite no hotel por volta das 20h para irmos jantar. Voltei ao hotel e busquei a Claudia para irmos as compras. Era o dia de percorrer os famosos outlets de Buenos.

Pegamos um metro até Palermo atrás de um endereço onde supostamente havia um outlet da Puma, porém o endereço que chegamos era  o de um shopping caro com uma loja da Puma, mas  a atendente de lá nos deu o endereço certo que ficava a umas 20 quadras dali. Como estávamos com fome decidimos almoçar de uma vez na praça de alimentação. Comemos uma refeição num tal de Ave Caesar que foi bem caído. Sabe os restaurantes de shopping que vendem prato executivo e poem uma foto linda para vender e quando chega o  prato parece uma marmita feita em casa? Então foi exatemente como me senti. Pelo menos foi bem barato e abrimos a porteira para os pagamentos com o visa travel money. Depois tomamos outro sorvete no Freddo, delicioso de Dulche de Leche Tentacion com pedaços de doce leite, e um café para arrematar no Starbucks.

Saímos o shopping e entramos num taxi até a área dos verdadeiros outlets que fica na Calle Aguirre entre a Serrano e a Gurruchaga, e na Córboda da Gurruchaga até a Scalabrini Ortiz. Entramos no outlet da Puma, mas não encontramos nada muito imperdível e incrivelmente barato. É barato se comparado ao preço normal, mas como o preço normal não é muito padrão para mim, saímos de lá de mãos abanando.  Entramos ainda nas outlets da Lacoste, Wranglers/Lee/Levis, Timberland, Nike (tem boas promoças mesmo – compramos um tênis cada um), Adidas e outras menos famosas.

Anos depois, nos reencontramos

Depois desta tarde de compras, voltamos pro hotel aonde quase nos atrasamos para encontrar o Alberto. Ele e a esposa chegaram 1min depois de entrarmos no quarto e deixar as compras. Nos comprimentamos no lobby e fomos de carro até um restaurantes de massas em Montserrat chamado Campo de Fiori, muito bonito por dentro, me lembra aquelas construções com tijolos aparentes que tem na Lapa, mas bem decorado. Um ambiente família e agradável. Comemos um penne e um capelleti com massa caseira ótimos acompanhados de um vinho Trapiche Malbec. E o Alberto não nos deixou pagar pelo jantar. De lá fomos até Las Cañitas para tomar um café no La Troupe que fica numa galeria bem bonita. Retribuimos a gentileza do jantar e pagamos esta refeição. E tivemos um ótimo papo, eles nos convidaram a ir na casa deles e se prontificaram a nos levar a Tigre se quiséssemos nos dias que ainda nos restam em Buenos, uma simpatia só. Vamos tentar nos reencontrar ainda.

Escrito por Claudio Lemos