Se liga no Papa na janela
 

Dependendo do seu nível de interesse histórico, as atrações de Roma podem acabar consumindo todos os dias de suas férias. Vai do gosto do freguês. Eu consegui percorrer todos os pontos que me interessavam em três dias bem intensos. Só para dar conta do Vaticano, pode separar um diazinho da sua viagem.

Uma manhã/tarde para Basílica de São Pedro com direito a subida no duomo e uma manhã/tarde para o museu do Vaticano, que aliás é imperdível. Aos domingos, a sua santíssima santidade aparece na janela e reza para a multidão que lota a piazza San Pietro, com direito a cartazes com o nome da caravana. Sim, o papa é pop!

Coliseu é um show a parte. Gastei umas três horas e meia lá (incluindo aí o tempo da fila). Deve ter o tamanho do Maracanazinho e precisa de pernas fortes pra subir os altos degraus, mas vale. É muito emblemático. Gostei bastante da visita e fica a dica: o ingresso ainda dá direito a visitar (até o dia seguinte) o Foro Romano, logo em frente ao Coliseu. Eu abri mão de fazer o tour no Foro, como comecei dizendo o interesse histórico de cada um vai ditar o rumo da visita em Roma.

Fontana di Trevi: meu queixo tá por aí em algum lugar…
A dobradinha Piazza Navona/ Fontana di Trevi vai mudar seus conceitos sobre esculturas ao ar livre. Meu queixo ainda está lá caído. As esculturas são lindas, dá vontade de ficar ali  pra sempre tomando sorvete e admirando aquelas obras. Relativamente perto, também está a Piazza Spaña com sua linda escadaria e o comércio (Via Babuíno e Via del Corso) estilo bom-pros-olhos-ruim-pro-bolso. E há ainda a Piazza del Poppolo com um lindo arco (do triunfo?), o Pantheon, a Piazza Venezia e por aí vai. Invista no tênis e vá bater perna.
Escrito por Claudio Lemos