catedral de notre dame paris ile de france
Catedral de Notre Dame

Não são poucos os predicados de Paris, veja só: belezas arquitetônicas super bem conservadas como Notre Dame, Louvre e Arco do Triunfo (só para ficar no basicão) certamente vão te impressionar a primeira vista. Outra aprendizado que tive nos meus dias lá é que qualquer birosca tem potencial inato e oculto para te surpreender no quesito gastronômico. E tem também aquele projeto do Gustave Eiffel que você já deve ter ouvido falar né? 😉

Opera Garnier, dessa vez fomos visitar
por do sol no rio sena
Que falar do por do sol no Rio Sena?

Sem negar tudo isso que escrevi antes, pode até parecer um tanto quanto esnobe, mas a verdade é que ainda assim não morro de amores por Paris. Pronto, falei! Talvez tenha a ver com o meu perfil, prefiro cidades mais modernas e em sintonia com os dias de hoje. Paris se orgulha demais de seu passado para deixar que esse “modernismo” que eu curto invada/transforme seu espaço. Tá, tá, não vou cuspir no prato que comi. Vi muita coisa maneira em Paris e antes que eu perca a pouca audiência desse blog falando mal da cidade, deixa eu aproveitar para contar o que me chamou atenção por lá.

Se for visitar o Louvre prepare-se pois é imeeeeeenso

O lado bom de voltar a um lugar que você já visitou é simplesmente poder cagar um balde para o roteiro turístico e fazer o que se gosta sem culpa de estar deixando de lado aquele ________ (complete você: museu/feira/igreja/monumento/etc). Na minha primeira vez em Paris bati ponto no Louvre, D´Orsay, Pompidou, Torre Eiffell, Notre Dame, Sacre-Couer, enfim tudo aquilo que se espera que o turista visite na cidade. Agora o olhar já foi diferente, queríamos conhecer os bairros um pouco melhor e nos dedicar ao que pra mim é grande atrativo de Paris: a comida.

Doce ou obra de arte?

Comer em Paris é sempre uma alegria para a alma gordinha que me habita. Ainda que o lugar aparente simplicidade, sempre há a possibilidade de ser surpreendido com o gosto da cozinha. Positivamente, claro.

Claudia percorrendo o tour do cremee brulee

A Claudia por exemplo fazia um tour degustativo de creme brulees pelo caminho. Já eu confesso que sempre ficava tentado a provar os steaks tartares que surgiam pela frente, mas ainda havia espaço para muito magret ao canard, bouef bourginon, crepes e muito vinho.

Magret au canard, delícia

Não custa lembrar que na França o vinho nacional é francês 😉 E a preços módicos, principalmente comparados com os daqui do Brasil.

ah o vinho local…

Não fiz pesquisas prévias de restaurantes estrelados nem de lugares hypados para comer, porque tinha uma lembrança (que foi confirmada nessa segunda estadia) de que qualquer lugar é uma boa pedida pra se comer em Paris.

Steak Tartar tour parte 1
Steak Tartar tour parte 2
Steak Tartar tour parte 3
Steak Tartar tour parte 4

É algo realmente cultural, a culinária francesa é incrível mesmo. Lá o ato da refeição é algo muito valorizado. O almoço não é para comer, é para degustar. É tudo muito bem trabalhado para garantir o prazer gustativo, seja na entrada, no principal ou na sobremesa. Já falei que acompanha vinho né?

As refeições são um momento para ser saboreados sem pressa. É um ato quase sublime. Portanto aproveite cada almoço ou jantar na cidade com calma. Com certeza você vai se lembrar com carinho deles.

Escrito por Claudio Lemos